Conveses rotos

Diversos colegas meus, de profissão marinheira, curtiram ou comentaram o poema que publiquei no dia 26 de outubro, intitulado “No meu navio”. Por esse motivo e esperando que eles venham, também, a recordar os bons tempos de mar que vivemos no passado, publico aqui este outro poema, que escrevi alguns anos atrás, ao retornar de uma viagem.

No texto, há palavras ou expressões eventualmente desconhecidas por quem não é do mar, explicadas depois do poema.

Conveses rotos

“Calquem aos pés nos conveses meus olhos arrancados”
Fernando Pessoa

Voltei de tempestades, cheguei de travessias,
vim do oceano, do mar-alto, dos abismos.
Tenho o corpo ferido em vento e mar,
a alma em fúria, o coração em fogo, o peito em dor.

Marinheiro andante, de rotas e derrotas,
trago as histórias que vivi, de portos e mulheres,
eu menino travesso, eu adolescente triste,
eu homem desesperado.
Meus pés têm o lanho de conveses rotos,
em navios sem rumo, pelos mares da vida.
E minhas mãos as marcas de pesadas enxárcias,
cabos trançados, espringues e lançantes.

Voltei de longe, de horizontes e ventos,
de madrugadas lentas e manhãs ardentes
e muitas horas de vigília em mastros oscilantes,
das noites negras de céu multiestrelado,
de plêiades e estrelas solitárias,
constelações e galáxias.

Vim de dunas, de alísios, de praias brancas imensas,
litorais ao longe, oceano infinito.
Vim de noites sem dormir em mar encapelado,
navios como nozes jogados entre ondas,
naufrágios e balsas, nenhum cais, nenhum porto.

E chego aqui, em tua casa, em teu porto, em teu cais.
E chego coração, alma, peito aberto,
na busca do repouso de uma tarde assim,
em brisa mansa e tépido convívio,
para saber tua presença, teu silêncio,
teu vulto de mulher que me enternece e encanta.

Lucimar.
Natal, 13 de novembro de 2014.

Cabo trançado – Trabalho marinheiro com cabo, geralmente de manilha, trançado com os fios do próprio cabo.

Espringues – Cabos que se dirigem para dentro da proa ou popa, impedindo o movimento do navio para vante ou para ré. (Espringue de Proa / Espringue de popa).

Lançantes – Cabos que disparam para fora, da proa ou da popa, evitando o movimento do navio para vante ou para ré. (Lançante de proa / Lançante de popa).

Enxárcias – Conjunto de cabos, manobras e polias que servem para içar, aguentar e manobrar as velas de um navio.

Na Marinha, usa-se “derrota” para descrever o percurso do navio.

A imagem foi copiada em: amarnaimagens.blogspot.com.

navio antigo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s